Masturbação feminina

Muitas fazem, poucas falam. Por que esse prazer solitário ainda é um tabu?
por admin

Falar sobre sexo é fácil. Mas quero ver falar sobre o que você faz durante o banho demorado naqueles dias em que está sozinha e cheia de tesão. Você ruboriza, tosse, gagueja e faz de tudo para mudar de assunto o mais rápido possível. Taí: parece que ainda é um tabu falar sobre masturbação feminina.

É feio?

A masturbação é rodeada por mitos. O sexólogo Helio Felippe lembra que, por gerações e gerações, tanto mulheres como homens eram assustados por ameaças que envolviam prazer solitário e castigo. "Diziam que, se alguém brincasse com seus genitais, teria pêlos nas mãos, ficaria cego, aleija do ou até louco. Hoje supõe-se que todos saibam que essas histórias faziam parte de uma tática repressiva amedrontadora", afirma. Hélio acrescenta que estudos científicos comprovam que a masturbação não faz mal a ninguém - muito pelo contrário.

Ainda assim, muitas mulheres ficam melindradas com o assunto. "Na nossa sociedade conservadora e machista, muitas mulheres sentem culpa, medo, vergonha e nem falam muito à respeito dessa prática. Algumas nem conhecem direito o seu órgão genital, confundem vulva com vagina, não sabem localizar a uretra e o pior: o clitóris é um órgão esquecido", afirma o sexólogo.

Apesar do avanço do mercado de produtos eróticos voltados para o público feminino, com direito a boutiques eróticas só para mulheres e da ampla divulgação na tevê e no cinema do vibrador Rabbit, falar sobre masturbação feminina é delicado. "Quando falamos em masturbação é a masculina que logo vem à mente, não é mesmo? Nós mulheres também fazemos, porém não comentamos", diz a usuária do Bolsa de Mulher Sol Silveira, para quem se dedicar ao prazer solitário é muito bom. "Nos ajuda a conhecer melhor o nosso corpo, onde gostamos e como", conta.

Aliás, quando alguma mulher ousa tocar no assunto masturbação, a fala é sempre a mesma: "É uma maneira de conhecer melhor o próprio corpo". A questão é que, depois de ser apresentada e criar intimidade com cada milímetro do corpo, a gente continua se masturbando. A usuária do Bolsa Bella abre o jogo: "Fço sempre que me dá vontade! Ainda mais quando estou doida pra fazer amor e meu marido só dorme ou quer ver TV", conta ela, dizendo que chega a sentir dores no corpo. "Daí, tento aliviar e relaxar assim. É uma forma de se conhecer cada vez mais e também de se satisfazer", diz ela.

Se toca

Tem mais gente que fala sobre o assunto com desenvoltura, como a usuária do Bolsa Fruta Quel. "Eu adoro masturbação. Nem sei quando me masturbei pela primeira vez, mas acho ótimo", se entrega. "A frequência varia, bem como varia nossa libido. Tem dias que dá até desespero por um orgasmo. Ui! Daí, se não tem mais ninguém para ajudar, servem os dedos mesmo. Aliás, servem muito bem", diz.

Quel acredita que nenhum homem saberá tocar uma mulher tão bem quanto ela mesma. "Assim como nunca os tocaremos como eles próprios se tocam. Mas eles podem aprender como é bom - a prática leva à melhora", ressalta ela, que curte se masturbar na frente do namorado. "Faço sozinha ou pra ele. Ele também faz pra mim e curtimos juntos. É demais", entusiasma-se.

Segundo o sexólogo Helio Felippe, toda mulher é capaz de atingir o orgasmo através da masturbação. "Em alguns casos mais difíceis, ela precisa antes familiarizar-se com a técnica masturbatória e liberar-se da culpa e de outros problemas psicológicos. Deve relaxar e ficar sozinha. No início talvez precise masturbar-se uma hora por dia durante várias semanas, antes de atingir o orgasmo. Uma vez conseguido o primeiro, cada orgasmo subsequente torna-se mais fácil de atingir", ensina.

Para Helio, a masturbação é a solução ideal para liberar a tensão sexual da mulher que está sozinha por qualquer razão - viagem, divórcio, isolamento. "A mulher que está suficientemente familiarizada com o seu próprio corpo para compreender com exatidão o que mais a agrada será uma parceira sexual mais aberta e sensível", afirma ele, lembrando que a masturbação não precisa ser praticada solitariamente. "Muitos casais gostam de se masturbar juntos, ou um ao outro, como parte das preliminares ou para atingir o orgasmo mútuo".

TESTE: COMO ANDAM SEUS CONHECIMENTOS SEXUAIS?

Dando uma mãozinha


Helio Felippe lembra que, se a masturbação manual for considerada muito cansativa, um vibrador pode ajudar: "Deixar a inibição de lado e visitar uma das sexshops espalhadas pela cidade pode ser um programa bastante animado e excitante, principalmente se você for na companhia de amigas". Isso pode colaborar para que a coisa aconteça com mais naturalidade e que não seja vista como um bicho de sete cabeças.

"De acordo com o nível de liberação de cada uma, pode-se escolher desde filmes excitantes, roupas, íntimas, cremes até membros de diversos tamanhos, tudo para alimentar a fantasia. Além disso, um espelho entre as pernas permite que a mulher observe a masturbação. Essa sensação visual muitas vezes é excitante", finaliza o sexólogo.

Categoria:

Matérias Recomendadas

Facebook Comments