Desvendamos o esperma

Cores, sabores, texturas: descobrimos mil curiosidades sobre o sêmen masculino, confira!
por admin

ATENÇÃO: ESTE CONTEÚDO POSSUI TEOR SEXUAL E É IMPRÓPRIO PARA MENORES DE 18 ANOS.

Foi um aplicado – e provavelmente espinhento – estudante holandês chamado Ludwig Hamm quem, em 1677, descobriu que aquele pegajoso líquido expelido pelo pênis no ápice da relação sexual tinha alguma utilidade orgânica. O 'descobridor' do esperma levou, numa época em que não existia a revista Playboy nem filme de sacanagem, uma garrafa (!) de sêmen ao seu mestre, o inventor e cientista Anton van Leeuwenhoek, e ali apontou minúsculos bichinhos vivos que, a princípio, foram batizados de "animáculos".

Naqueles tempos de inocência, o pequeno Ludwig ainda não podia prever muita coisa. Mal sabia ele que, centenas de anos depois de sacramentada a liquidez da sua aventura porno-científica, o esperma estaria, literalmente ou não, na boca do povo, entre dúvidas sobre sabores, cores, odores, texturas e até propriedades nutricionais e dermatológicas.

TESTE: COMO ANDAM SEUS CONHECIMENTOS SEXUAIS?

Cuspir X Engolir

O sêmen faz jorrar discussões pessoais. Há aquelas que se incomodam terrivelmente com qualquer contato e querem, na medida do possível, manter distância. De outro lado estão as que exibem uma incrível intimidade com o assunto, como a roteirista Anabela Curi. "Quando eu era adolescente, é claro que achava nojento quando algum namoradinho espirrava em mim. Mas o tempo passa e você vê que certas coisas são inevitáveis e que, dependendo da sua abertura, podem até se transformar em assunto de interesse", diz.

Não que Anabela seja uma espermomaníaca, mas ela garante que está muito longe de se intrigar com a viscosa presença da substância, como acontece com sua colega de trabalho Fernanda Patrício. "Ainda hoje, quando acabo de transar, principalmente se não tiver usado camisinha, não sossego enquanto não for para o banho. No sexo oral, gozar na boca, nunca! Fico até arrepiada de pensar", conta. "Sou fresquérrima", assume.

Anabela, por sua vez, já gozou inclusive algumas experiências gustativas e arrisca teorias. "Não dá pra dizer que é saboroso porque aí já é forçar uma barra. Na maioria dos casos, tem gosto de água sanitária e fica penicando na língua. Mas com alguma experiência, você percebe até que o paladar muda de homem pra homem", garante.

O sabor do esperma

A ciência tenta comprovar os experimentos da roteirista, segundo o que afirma a sexóloga Margareth Labate. "Existem alguns estudos que dizem que o gosto do esperma se altera de acordo com o que se come. É, na verdade, o mesmo princípio que também modifica a composição do leite materno. De acordo com essas pesquisas, o sêmen de quem ingere comidas muito condimentadas ou fuma e bebe, é mais amargo. De toda maneira, ainda não há nada muito desenvolvido sobre esse assunto", comenta.

A sério ou não, o fato é que o escritório de patentes dos Estados Unidos tem registrada uma fórmula de complemento alimentar supostamente capaz de levar o organismo a produzir um esperma, digamos, mais saboroso. O complemento consiste em uma mistura de frutas liofilizadas, vegetais e temperos e pode ser preparado como bebida, tablete, goma de mascar ou cápsula. Os testes feitos pelos responsáveis pela patente com 27 casais indicaram, entre outras conclusões, que gengibre, canela, noz-moscada e uma combinação de banana, morango e aipo tiveram efeito neutralizante no gosto amargo da ejaculação. Segundo esse pessoal, o efeito pode ser sentido 24 horas após a ingestão do composto.

Categoria:

Matérias Recomendadas

Facebook Comments