Quando precoce, câncer de mama tem 98% de chances de cura

Os sinais e sintomas do câncer de mama podem variar de mulher para mulher. Algumas podem não apresentar nenhum, enquantooutras podem ter todos. A medicina não é matemática, cada organismo reage de um jeito. O mais importante é a mulher conhecer o próprio corpo para detectar, antecipadamente, o possível tumor.

Leia também

Alimentos funcionais ajudam a reduzir os riscos de câncer de mama

Excesso de peso pode aumentar o risco de câncer de mama

Câncer de mama pode não ser percebido com o toque; veja formas de manifestação

"É de extrema importância que a mulher faça os exames rotineiros anualmente, que ela conheça o histórico genético de sua família,assim como o seu próprio corpo. Elas precisam chegar ao consultório para compartilhar o máximo de informações com o médico. Não se auto diagnosticarem, mas sim fornecer informações para o médico conhecer ainda mais a paciente", afirma a psico-oncologista Dra. Luciana Holtz.

Sintomas do câncer de mama

  • Nódulo endurecido

  • Abaulamento de uma parte da mama

  • Inchaço da pele

  • Vermelhidão no local

  • Inversão do mamilo

  • Sensação de massa ou nódulo em uma das mamas

  • Sensação de nódulo aumentado na axila

  • Espessamento ou retração da pele ou do mamilo

  • Secreção sanguinolenta ou serosa pelos mamilos

  • Inchaço do braço

  • Descamação ou coceira

Quando um dos sintomas acima for apresentado, procure um ginecologista ou mastologista. O câncer, segundo a Luciana Holtz, quando diagnosticado precocemente tem chance em 98% de cura.

"A mulher precisa entender a importância dos exames de rotina. A mamografia salva vidas. Esse exame detecta o câncer ainda em estágio inicial. É de extrema importância a mulher a cima dos 40 anos realizar anualmente a mamografia. E para as mais novas, o ultrassom de mamas, que também é muito eficiente para a prevenção do câncer de mama", afirma psico-oncologista.

Alguns fatores de risco são comprometedores para aumentar a chance da mulher em desenvolver o câncer de mama. "Vale lembrar que ter um desses fatores não significa que você vai desenvolver a doença. Conhecer esses fatores serve para você melhorar os hábitos de vida", afirma Luciana Holtz.

Fatores de risco

  • Ser mulher

  • Raça branca

  • Predisposição genética hereditária

  • Mulher sem história de gravidez ou com gravidez depois dos 30 anos de idade

  • Obesidade

  • Cigarro

  • Consumo de álcool (mais de suas doses diárias)

  • Menopausa tardia

  • Primeira menstruação antes dos 11 anos

  • Terapia de composição hormonal combinada (por mais de 10 anos)

  • Antecedentes de radioterapia

  • Mamas densas

Assista ao vídeo e conheça os tratamentos possíveis para o câncer de mama.

SIGA-NOS NO FACEBOOK

Recomendado Para Você