Diferenças entres os tipos de cerveja

Se você pensa que cerveja é tudo igual, está muito enganada. Existe no mundo milhares de tipos de cerveja que diferem de acordo com o cereal utilizado, o tipo de fermentação, a quantidade de lúpulo e os ingredientes acrescentados.

Leia também:

Aprenda a fazer o tradicional e saboroso bolinho de bacalhau

Torta de legumes com bacon para jantar diferente

Bruschetta de cogumelos com óleo de gergelim

Na mesa dos bares ou no churrasco de família, ela é presença indiscutível. Também vai muito bem na praia, no jogo de futebol e no bate papo com as amigas. Aliás, já foi o tempo em que diziam que mulher não gostava dela. Há quem tenha preferência de marca ou coloração, mas o importante mesmo é que esteja gelada.

Bruno Martins, do Empório de Cerveja Melograno, explicou de forma simples a função dos ingredientes, os principais estilos e como harmonizá-las com diferentes preparações culinárias. Confira!

Ingredientes da cerveja

[caption id="attachment_182022" align="alignright" width="310"] Shutterstock[/caption]

Água: quanto mais pura, melhor.

Cereal maltado: Toda cerveja precisa de amido para garantir o sabor da bebida, e a cevada e o trigo são as fontes mais utilizadas neste processo. O malte se forma a partir da germinação de grãos colocados de molho. O grão maltado produz enzimas que convertem o amido presente em açúcar.

Lúpulo: "O lúpulo confere aroma e amargor da cerveja, balanceando a doçura do malte, além de atuar como conservante natural", explica Bruno.

Levedura: Este micro-organismo é responsável pela fermentação que resulta na cerveja. As leveduras metabolizam os açúcares extraídos dos grãos, produzindo álcool e dióxido de carbono.

Estilos de cerveja

[caption id="attachment_182023" align="alignright" width="310"] Shutterstock[/caption]

As cervejas são geralmente classificadas de acordo com o seu grau de fermentação. Cada um dos seguintes estilos tem diversos subtipos que atendem às suas principais características.

Ale

As Ale são cervejas de alta fermentação. O processo acontece em temperatura relativamente elevada, entre 18º e 22º graus. Este é o processo mais antigo de fermentação, e resulta em cervejas mais encorpadas e de sabor mais acentuado. As ale eram as únicas cervejas fabricadas até o século XIX.

Cervejas fortes como as ale vão bem com pratos igualmente intensos, como preparações com carne vermelha.

Larger

As larger são as cervejas mais consumidas do mundo e sua fermentação é classificada como baixa, pois acontece entre 10º e 12º graus. As pilsen, cervejas mais populares no Brasil, são um subtipo das larger e se caracterizam pela cor dourada e muito clara.

Leves e refrescantes, as larger limpam o paladar e casam muito bem com as tradicionais comidas de boteco, como bolinhos de bacalhau, coxinhas ou bolinho de doritos.

Lambic

[caption id="attachment_182024" align="alignright" width="187"] Shutterstock[/caption]

"Lambics são cervejas de fermentação espontânea, ou seja, não levam leveduras", diz Bruno. Em vez disso, os barris são expostos à ação dos agentes naturais. Elas levam mais tempo para ficarem prontas e, por isso, também são as mais caras. Seu subtipo mais famoso é a lambic-fruit, que leva frutas inteiras após o início do processo de fermentação, resultando em cervejas com sabor de framboesa, cereja, pêssego ou outras frutas exóticas.

O sabor adocicado das cervejas frutadas é ideal para acompanhar a sobremesa. É isso mesmo! Experimente tomar uma lambic de framboesa enquanto come um pedacinho de chocolate: vai ficar igualzinho ao bolo floresta negra.

Diferenças entre chope e cerveja

Enquanto as cervejas são pasteurizadas, isto é, tem sua temperatura elevada e resfriada rapidamente para matar as bactéria e evitar que elas continuem o processo de fermentação, o chope não passa por este processo.

SIGA-NOS NO FACEBOOK

Recomendado Para Você