fóruns

Amor

Relacionamento 17.645 tópicos | 272.038 repostas
*Nanny*
16/03/2010 | 10h45m18s
Pessoal gostaria de saber como e porque os homens não conseguem prestar atenção em duas ou mais coisas ao mesmo tempo ou fazer varias coisas ao mesmo tempo?
Meu marido se ele estiver assistindo ele não escuta nada que eu falo, que eu pergunto, absolutamente nada!!!
E eu faço janta enquanto a água pra fazer o arroz ferve eu lavo o arroz pico o alho vou até a lavanderia tiro a roupa do tanquinho ponho na máquina, volto pra cozinha refogo o arroz e ponho pra cozinhar, tempero o feijão,tempero a carne e ponho na panela, ligo o chuveiro pros meus filhos tomarem banho, enquanto isso dou um pulinho ate a cozinha e lavo a salada e faço o suco volto pro banheiro e dou banho nos meus filhos tiro eles do banho levo eles até o quarto seco eles e peço pra eles esperar um minuto enquanto corro na cozinha pra olhar as panelas e ir até a lavanderia pra colocar amaciante nas roupas que estão na máquina volto pro quarto e ponho a roupa neles, volto pra cozinha e vou lavando a loucinha que usei pra fazer a janta e tudo isso olhando a minha filha de 4 anos e meu filho de 2 anos que como qualquer outra criança não param um minuto e sem falar que não param de brigar... arrumo a mesa e chamo ou melhor... tento chamar meu marido que esta no quarto assistindo televisão e não me escuta ou finge que não me escuta e então porque será que o homem não consegue fazer varias coisas ao mesmo tempo dizem que o homem é diferente da mulher será mesmo ou é safadeza? rsrsrs



angelinacolombo
17/03/2010 | 17h36m56s
O meu marido é a mesma coisa... não consegue prestar atenção em duas coisas ao mesmo tempo, principalmente quando é algo q não o interessa, cheguei a conclusão que não conseguem pois possuem menos neurônios, portanto não são como nós conseguimos trabalhar, tomar conta de casa, filhos, lição de casa dos filhos e ainda fazer a janta kkkk.




dany.alves
16/03/2010 | 11h04m21s
Em alguns casos acho que é safadeza! O que me chamou a atenção é que vc faz esse montão de coisas ao mesmo tempo, se vira em dez (lava roupa, cozinha, dá banho nas crianças, lava louça) tudo sózinha enquanto seu maridão fica vendo tv? Aqui em casa é bem diferente, mesmo ainda não tendo filhos para cuidar, meu marido me ajuda bastante, sempre pergunta se preciso de ajuda, qdo trabalho no fds, é ele que organiza a casa, então no meu caso, nós dois trabalhamos fora, nada mais justo que os dois dividam asa tarefas domésticas também, mas eu não sei se vc trabalha fora, se não trabalha, então pode ser porisso que vc cuida da casa sózinha, nada mais justo né, apesar dos filhos serem deles também, ele poderia sim te dar uma mãozinha.



*Nanny*
17/03/2010 | 09h32m16s
Então amiga eu tambem trabalho fora e antes de termos filhos ele era totalmente diferente mais agora... bjs



Ni Bernardes
16/03/2010 | 11h41m30s
Fisiologicamente está provado que o cérebro masculino é compartimentado e especializado, ao contrário do cérebro da mulher.

Em termos simples, é como se o cérebro de um homem tivesse salinhas espalhadas, cada uma com uma função principal funcionando, à revelia do resto.

O cabo que conecta os hemisférios direito e esquerdo do cérebro masculino é, em média, 10% mais fino do que o de uma mulher e transporta cerca de 30% menos conexões entre os dois hemisférios.

Anatomicamente é isso que dá o enfoque "uma coisa de cada vez" a tudo o que um homem faz na vida.

Este enfoque mais concentrado permite que os homens se tornem grandes especialistas: 96% dos técnicos especialistas do mundo são homens - excelentes no desempenho daquela função singular.

Entender isso é uma das coisas mais importantes que uma mulher pode aprender a respeito dos homens: isso explica, por exemplo, porque eles abaixam o rádio, quando lêem um mapa ou dão marcha ré num carro. Se ele está num trevo e a mulher ao seu lado fala como uma louca, certamente ele se atrapalhará na saída.

Por isso também, nunca tagarele com um homem enquanto ele estiver fazendo a barba. A menos que queira feri-lo!

O ideal seria que as duas partes de um casal pudessem dizer ao parceiro honesta e civilizadamente como cada qual se sente diante de certos impasses da vida a dois e ir aprendendo sobre as características específicas de seu par.

Quando o casal aprende a fazer isso de forma consciente, visando a harmonia da relação, as observações mútuas perdem o caráter de críticas e acusações e passam a ser elementos fundamentais na construção da felicidade mútua, porque os dois aprendem a somar esforços. Ninguém se ressente ou fica sobrecarregado, como você, parece-me, está.

Apesar de opostos, homem e mulher são complementares.







geniazambuja_geminiana
16/03/2010 | 11h43m33s
Nanny,fique exausta só de ler o que voce faz em casa,tá doida,voce é uma mulher bionica,se eu for fazer tudo isso caio dura só de pensar.



*Nanny*
17/03/2010 | 09h49m04s
Então faço tudo isso sim e ainda (trabalho fora) mais fazer o que vou levando ate onde der pra mim amiga, pois sinceramente ele é uma pessoa muita boa pra mim em outras coisas, ele é do tipo antigo sabe? ele não me deixa faltar nada mais no sentido material, mais não consegue perceber que me falta em outros sentidos.
bjs amiga



Ni Bernardes
17/03/2010 | 10h46m56s
Nanny: "ele não me deixa faltar nada mais no sentido material, mais não consegue perceber que me falta em outros sentidos."

Querida,

É aí que entra o diálogo! O outro, assim como a gente, não tem o poder de adivinhar. Se você não falar do que lhe falta "em outros sentidos", como ele vai saber?

Um dos grandes problemas dos relacionamentos é que as pessoas não sabem conversar clara e equilibradamente.
O que muitos casais chamam de diálogo, na maioria das vezes, é discussão pesada ou então não passa de monólogo a dois.

Cada um reclama do outro, de problemas no trabalho, dos afazeres domésticos, dos filhos...


Fala-se do que se passa fora, mas não dos sentimentos que se passam dentro do coração de cada um.

O modelo maduro de relacionamento significa fazer um esforço para verbalizar os próprios sentimentos.

Normalmente, o que gera mais conflito não é o que foi dito, mas o que não é falado e devidamente esclarecido.

Convém lembrar que comunicação não é apenas falar mas também ouvir. Isso é uma demonstração de acolhimento do outro tanto quanto um abraço.

E quem quer ser ouvido deve ter em mente que verbalizar os próprios sentimentos não significa acusar o parceiro por eles, tentando provar que a “culpa” é dele.

Na maioria das vezes, numa relação, não há "culpados" , mas sim "desajustados". Você está vivendo num determiando ritmo e o par em outro.

Procure falar sobre uma insatisfação ou um problema na primeira pessoa explicitando como uma situação a afeta. Por exemplo: “Estou sobrecarregada, sinto dificuldade em partilhar as tarefas com você” é um modo de convidar para o diálogo. Enquanto a frase acusativa "Você não me escuta e nunca faz nada por mim” é um chamado para a briga.


Bjs,
Ni




Ni Bernardes
16/03/2010 | 19h49m24s
Hypatia: Pode até ser que tenha alguma biologia nisso, mas não é uma coisa irreversível, uma sentença para a vida toda. Em se falando de comportamento humano, acho que nada está cientificamente comprovado porque somos imprevisíveis e podemos nos comportar de várias maneiras e nos adaptar sempre.

------------------------------------------------------

Isso é óbvio! Do contrário, nós não comandaríamos empresas; eles não pilotariam o fogão com talento. Nós não puxaríamos ferro na academia; eles não se preocupariam em aplicar botox...

Segundo cientistas, a mente feminina é 99% igual à masculina. Ao comentar lá em cima, eu me ative a esse 1% restante, responsável pelas diferenças entre o nosso jeito de ser e o deles e que, pelo jeito, é o que anda causando problemas no casamento da nossa amiga.

Afinal, é justamente esse 1% que pode ser fonte tanto de alegrias como de mal-entendidos que desmbocam em desencontros. "Homens e mulheres têm atitudes opostas ao se comunicar com o mundo externo", confirma a psiquiatra e neurocientista Mona Lisa Schulz.


A diferença entre o cérebro dos dois sexos tem raízes evolutivas. Segundo a neuropsicologista Anne Moir, da Universidade de Oxford, na Inglaterra, durante o desenvolvimento dos seres humanos, como o homem era o caçador, desenvolveu um cérebro com habilidades manuais, visuais e coordenação para construir ferramentas. Por isso, um cérebro masculino tem mais habilidades funcionais.

Já as mulheres preparavam os alimentos e cuidavam dos mais novos. Elas tinham que entender os bebês, ler sua linguagem corporal e ajudá-los a sobreviver. Elas também tinham que se relacionar com as outras mulheres do grupo e dependiam disso para sobreviver na comunidade e, por isso, desenvolveram um cérebro mais social.

Os homens, por sua vez, lidavam com um grupo de caçadores, não precisavam tanto um do outro e se comunicavam menos, apenas com sinais.

Não é apenas uma questão cultural, visto que, segundo o evolucionismo foi essa gente que sobreviveu para transmitir seus genes à população atual.

Mas, é claro: homem e mulher não estão biologicamente fadados a tarefas predeterminadas nem a comportamentos imutáveis.

No mundo dos negócios, por exemplo, é comum homens bem-sucedidos desenvolverem o que chamam de feeling empresarial, uma intuição que os orienta em momentos decisivos no trabalho, uma espécie de sexto sentido masculino.

Ora, sexto sentido sempre foi visto, pelo senso comum, como "coisa de mulher". Como então é possível um homem também ter essa sensibilidade e outros comportamentos geralmente ligados a um cérebro feminino?

Ocorre que o sexo do cérebro é determinado pela quantidade de testosterona [hormônio masculino] a que o feto fica exposto no útero. Em geral, homens recebem doses maiores desse hormônio do que as mulheres.

Mas, por razões que a Neurociência ainda não explica, a quantidade de testosterona é variável mesmo entre os indivíduos de mesmo sexo.

Sendo assim, se a concentração de testosterona no útero materno durante a gestação de um menino for um pouco mais baixa, porém dentro ainda do que se espera para o padrão masculino, então o cérebro tende a desenvolver algumas características comportamentais geralmente atribuídas às mulheres.

Por isso, o cérebro de uma pessoa pode ter uma organização neurológica que resulte em um estilo mais "masculino" ou mais "feminino" de se comportar, independente do seu sexo biológico.

Niinguém é 100% homem ou 100% mulher. A vida é pra lá de complexa.



Homem vitruviano, de Leonardo da Vinci



Ni Bernardes
17/03/2010 | 02h55m42s
Hypatia: "Lembrem-se de que não somos apenas corpos, temos alma também."

A teoria das reencarnações, na qual ambas acreditamos, só corrobora para o que eu disse acima. O espírito imortal não tem sexo, tal qual o concebemos e, por isso, precisa angariar experiências evolutivas tanto quanto homem como mulher.

Se não houvesse as especificidades de cada sexo, isso não seria necessário.

Mas... para não adentrarmos o polêmico campo da fé, que sempre gera brigas por aqui, quem não acredita em reencarnação certamente crê em Psicologia e já ouviu falar do que comentarei mais abaixo...


"Temos que tomar certo cuidado ao analisar comportamentos porque muitos são da criação e da cultura e não fruto da biologia. Do contrário, todos os homens seriam iguais"

Os homens, tal qual as mulheres, não poderiam ser iguais porque cada criatura ocupa um patamar evolutivo, destinado a seu auto-aprimoramento. Mas isso não contradiz a Biologia.

Para a Psicobiologia Analítica, o arquétipo da anima (termo em latim para alma),constitui o lado feminino no homem, e o arquétipo do animus(termo em latim para mente ou espírito), constitui o lado masculino na psique da mulher. Ambos os sexos possuem aspectos do sexo oposto, não só biologicamente, através dos hormônios e genes, como também, psicologicamente através de sentimentos e atitudes.

A anima, quando em estado inconsciente pode fazer com que o homem, numa possessão extrema, tenha comportamento tipicamente feminino, como alterações repentinas de humor, falta de controle emocional.

Em seu aspecto positivo a anima, quando reconhecida e integrada à consciência, servirá como guia e despertará, no homem o desejo de união e de vínculo com o feminino e com a vida. A anima será a “mensageira do inconsciente” tal como o deus Hermes da mitologia Grega.

A valorização social do comportamento viril no homem, desde criança, e o desencorajamento do comportamento mais agressivo nas mulheres, poderá provocar sim uma anima ou animus subdesenvolvidos e potencialmente carregados de energia, atuando no inconsciente. É aqui que entra a influência da criação e da cultura de que você fala.

Um animus atuando totalmente inconsciente poderá se manifestar de maneira também negativa, provocando alterações no comportamento e sentimentos da mulher. Segundo Jung: “em sua primeira forma inconsciente o animus é uma instância que engendra opiniões espontâneas, não premeditadas; exerce influência dominante sobre a vida emocional da mulher.”

O animus e a anima devidamente reconhecidos e integrados à personalidade tanto da mulher quanto do homem, contribuirão para a maturidade e o equilíbrio do psiquismo de ambos.





Verony Estrela
17/03/2010 | 09h37m34s
Eu acho um absurdo isso, nos somos auxiliadora do homem e não escravas.



*Nanny*
17/03/2010 | 09h51m40s
Isso é verdade amiga mais antes de nós termos nossos dois filhos ele me ajuda e muito mais agora...
Ele é uma pessoa muito boa pra mim mais em outras coisas, ele é uma pessoa que não me deixa faltar nada mais no sentido material sabe? mais eu tambem trabalho fora e ajudo com as contas. bjs amiga



*Nanny*
18/03/2010 | 13h34m07s
Então Dmarih é dessa forma que penso, penso que se nós fizessemos tudo poderia sobrar mais tempo pra descansar-mos e ficarmos juntos né amiga? bjs amiga obrigada.,)



dany.alves
18/03/2010 | 20h53m30s
Vc já tentou falar com ele sobre isso? Converse com ele, tente chegar a um acordo, faça o entender que ele também tem que ajudar nos serviços domésticos, ah amiga não deixe esse homem te fazer de empregada não, se ele não quiser ajudar não fique se matando sozinha, faça apenas o que der e vá ver tv também.




nova resposta

Você
:D


Avise-me quando houver novos comentários nessa matéria