Ser chique é…

Therezinha foi a Pernambuco e quem também estava por lá era Glorinha Kalil. O tema do encontro não poderia ter sido outro: estilo, moda e comportamento. Confira essa deliciosa conversa!

por Redação

Tirei uns dias para dar um pulinho em Pernambuco – adoro aquela terra, aliás, adoro o Nordeste, que povo. Não fiquei em Recife, não, fui para Cabo de Santo Agostinho. Bom, essa ambientação toda é para falar que estava eu lá, de papo pro ar, no hotel, quando cruzo com ninguém menos do que a chiquérrima Glorinha Kalil. Claro que me aproximei para bater um papo, adoro ela! O assunto enveredou, obviamente, para moda, estilo e comportamento. E o que era para ser uma despretensiosa conversa acabou virando uma verdadeira aula. Ao fim, eram mais de trinta mulheres ávidas em saber o que é ser chique. Confiram o que ela disse!

Moda e estilo

Gente, para começar, a Glorinha é chique, em todos os sentidos da palavra. Simples, atenciosa, clássica. Uma pessoa de estilo. Aliás, partiu desse ponto nossa conversa. “Moda é oferta. Estilo é escolha”, foi a definição que Glorinha Kalil deu para esses dois complexos verbetes. E prosseguiu: “Temos a obrigação de recusar roupas que não combinem conosco, porque nada é mais distante do estilo do que a moda”, complementou. Claro que todas nós vestimos, de certa forma, a carapuça. Quem nunca foi vítima dela? (Aquela saia balonê não fica bem em ninguém que habita o planeta Terra).

No entanto, esses nossos deslizes – que provavelmente estão registrados em fotografias (não adianta negar!) – são frutos das armadilhas da moda. Moda essa que acaba dando impunidade a algumas peças. “Certas coisas ficam acima do bem e do mal, enquanto estão em alta. Não importa se são feias. Agora, quando saem de evidência, são praticamente excomungadas”, atesta Glorinha. Ainda bem!

Glorinha se aprofundou no assunto, explicando que a roupa contém muitas informações a nosso respeito, é uma linguagem. Cada detalhe é um código. “Um decote está querendo dizer que você quer ser vista como sexy”, esclarece ela. Então, quando abrimos o armário e escolhemos o que vamos usar, estamos, inconscientemente, escolhendo a maneira como queremos ser vistas. Para não errar, a melhor estratégia, segundo Gloria Kalil, é ir para frente do espelho e se analisar, conhecer o próprio corpo. “O espelho, na verdade, é um grande aliado, nos diz quem somos. Aconselho todo mundo a se olhar, de frente e de costas. A roupa deve se adequar às características físicas da pessoa”, disse ela. Ou seja, este é o primeiro passo que se dá em busca do estilo.

Portanto, o autoconhecimento é a peça-chave para ser alguém com estilo. Idade, trabalho, cidade, tudo isso conta também para nossa formação visual. “Tem muita mulher de 50 que quer se vestir como uma de 30. Ela pode até ser bonita, mas, visualmente, não está batendo com a realidade. Ela está passando uma falsa informação. A mulher deve procurar ser o máximo dentro das suas características. O que ela veste deve condizer com a sua vida”, revela Glorinha, afirmando que poucas coisas dão tanta segurança a uma mulher quanto uma roupa perfeita. “Uma pessoa bem-vestida tem domínio da situação. Está segura do seu poder, da sua imagem”.

Usando e não abusando

Diante dessas informações, algumas perguntas surgiram. Todas queriam sugar o máximo que podiam daquele encontro. “A bolsa deve combinar com o cinto e o sapato?”, indagou Luana Barros, uma simpática mineira. Gloria Kalil foi incisiva: “Não! Conjuntinhos são despersonalizados, um horror”. A professora Vera Saldanha, do Paraná, quis saber sobre as meias finas (já repararam que elas estão mesmo sumidas das ruas?). Glorinha respondeu que, hoje em dia, devido à globalização, as coleções das grandes grifes são lançadas no mundo todo ao mesmo tempo (verão aqui, inverno na Europa), por isso, a meia caiu em desuso. “Mas quem quer usar pode e deve”, assegura.

O bom e velho jeans, filho da informalidade, não pôde ficar de fora da conversa. “Um passaporte para a facilidade, estiloso por natureza. Um ícone. Mas os rasgados, na minha opinião, perderam o sentido de rebeldia. São praticamente uma convenção da moda”, disse ela. Roupas para noite, roupas para o dia. Isso acabou. A proposta atual é migrar os itens noturnos e os diurnos, fazendo um mix, incluindo aí o uso de brilhos em plena luz do sol. Tecidos pesados misturados aos leves e peças baratas com caras. Foi aí que a paulista Viviane Macedo se lembrou do pretinho básico. “Olha, preto não é mais novo, nem é mais chique, mas ainda é lindo!”, afirmou Gloria Kalil.

Ser chique é…

Depois dessa discussão sobre moda e estilo, veio a questão do ser chique. O que seria ser chique? É apenas usar uma roupa de acordo, uma roupa cara… Não! Não é nada disso. Glorinha ressaltou que atualmente as pessoas estão muito preocupadas com a imagem, se esquecendo do próximo, se esquecendo do essencial. A educação, o cuidado, o respeito. “Ser chique não está só na aparência, está na civilidade”, conclui Gloria Kalil, que, antes de se retirar, deu um exemplar do seu livro, “Chic[érrimo]”, para cada uma de nós. Chiquérrima!

Comentários

  1. disse:

    Adorei a reportagem, pois tirou-me uma dúvida sobre a combinação da bolsa, do cinto e do sapato…
    beijos!

  2. disse:

    Amei a reportagem, pois ser chique é ter a sua própria personalidade….
    beijos

  3. disse:

    Concordo plenamente, principalmente quando ela define “Ser chique nao está só na aparência, está na civilidade”.

  4. disse:

    achei a reportagem bacanérrima, cho que ser chic é uma questão de estilo.

  5. disse:

    achei a reportagem bacanérrima, cho que ser chic é uma questão de estilo.

  6. disse:

    A matéria deixa claro que ser chic não tem nada a ver com ser fútil… viva ao estilo, ao individualismo e abaixo a ditadura da moda…!! Adorei a ligação feita com o termo chic e a boa educação, preocupação c/ próximo… isso sim é ser chic.
    Muito boa matéria. A Glória Kalil é 10! Beijos meninas… não percam sua identidade e sigam os conselhos da Glória.

  7. disse:

    Glorinha Kalil vcé D+.

  8. disse:

    Muito boa a matéria, nos dá a compreensão de como usar a moda a nosso favor e não sermos escravos dela. A dica é a identificação de nosso corpo e estilo para que possamos realçar o que temos de melhor. E para arrematar a educação, o respeito ao próximo. Este conjunto com certeza faz uma pessoa ser chique. Obrigada Glória Kalil!

  9. disse:

    Gloria Kalil adorei sua interpretação com relação a ser chic, (Ser chic não é só andar na moda ,e sim respeitar e se preocupar com o próximo). Cá entre nós, estamos vivendo uma falta de amor tão gde, que ñ sei aonde vamos parar com tanto individualismo!!!…

  10. disse:

    Ser chique é não precisar ir atrás de pessoas como a sra. Kalil para perguntar o que é ser chique, por favor, ninguém merece!!!

  11. disse:

    Sem dúvida nehuma uma pessoa educada é simplesmente chic!
    Célia

  12. disse:

    Lembro-me que quando estava na moda aqueles vestidos de noiva “gola princesa” ,uma vizinha
    baixinha e cheinha vestiu-se assim para se casar.. nossa, que coisa horrivel…Mas afinal, era a moda né???
    O pescoço da pobre ficou enterrado naquela gola que é propria para mulheres altas, magras e pescoçudas…Fazer o que???

  13. disse:

    Ser chique é reconhecer que quando temos dificuldades para saber como nos vestirmos e nos comportarmos, temos a humildade e sabedoria de procurar a opinião de pessoas que entendem do assunto, ao invés de fazer papel rídículo frente a outras pessoas.

  14. disse:

    A matéria é sem dúvida rica em detalhes, objetiva e simples no todo. A caracterização de “chic” é pessoal, é um procersso de dentro para fora… ímpar nas pessoas de bem.
    Registro meus cumprimentos, parabenizando toda equipe. Fatima Zaia.

  15. disse:

    Glorinha pra mim, é um exemplo de mulher que sabe SER na medida certa.

  16. disse:

    Realmente, ser chic e elegante é ser uma pessoa discreta, começando do ton de voz até a saudação do porteiro de seu trabalho ou residência.

  17. disse:

    A MELHOR DEFINIÇÃO DE CHIC QUE JÁ OUVI FOI DA MARAVILHOSA FERNANDA MONTENEGRO: “SER CHIC E NÃO INCOMODAR O PRÓXIMO.”

  18. disse:

    Ser chic é você saber se comportar em qualquer tipo de ambiente sem parecer pretenciosa é saber valorizar seu estilo e dos outros também

  19. disse:

    Super chic a Gloria Kalil, eu sempre achei que ser chic e um conjunto de detalhes. Imagine que conheco pessoas que acham que ser chic e ter dinheiro somente e adquirir coisas. Um forte abraco para toda a equipe que participou desse encontro chiquerrimo. Lylu

  20. disse:

    leila1074 Ela tem toda razão, ser chic é saber se comportar em qualquer ocasião que seje na chic ou na simples, mas sempre mostrando firmeza e convicsãono que está fazendo. Um grande beijo a todos!!!!!

  21. disse:

    ser chique é saber seguir o seu próprio gosto e não ser levada pela opinião (leia-se a roupa das outras) que nos cerca. Quem é levado como uma folha sobre a maré deixa de ser chique para ser fútil.

  22. disse:

    Ser chic é ter estilo próprio,vestir uma roupa adequada com seu estilo, isto é, ser original,simples e prático.
    Um grande abraço a todos!

  23. disse:

    A cada dia q passa aprendemos mais o que é ser chique, não só a roupa q vestimos se é de grife ou da loja de promoção da esquina, sendo vestida pela uma pessoa que tem educação, sabendo ser delicada diante das pessoas tratando com mais dignidade e respeito seremos chiquérrimas para a vida toda, adorei está matéria….

  24. disse:

    Ser chique e muito mais… e ser voce mesmo, e deixar de ser escrava da opinioa de terceiro, e ter civilidade, urbanidade e caridade. E lembrar que proximo que pode se vestir do jeito que ele quer; que isto nao vai fazer-lo menos inteligente, interessante or capaz; somente porque nao soube coordenar as pecas! Ah as diversidades e que faz este planeta se chique! Heloneida

  25. disse:

    ser chique é se vestir se olhar no espelho e se sentir linda, assim não importa onde vai ,que você se sentirá o maximo, chique.
    um grande abraço a todos.

  26. disse:

    o comportamento de uma pessoa revela se ela é ou não chique. Não será uma roupa que definirá alguém como chique e sim sua postura perante a vida e perante os outros, sua elegância, é algo que vem de dentro.
    Beijocas

  27. disse:

    adorei a materia, de fato vemos pessoas com roupas carissimas e que quando abrem a boca sao uma grande decepçao…

  28. disse:

    fico feliz em saber que as pessoas estão dando mais valor ao nosso Nordeste.
    Antes de alguém criticar ou dizer algo que nos deixa triste em relação ao Nordeste, deveriam conhecê-lo. Estou dizendo isto, por ter ficando triste com uma determinada pessoa em um congresso que participei em SÃO PAULO.
    AMIGA VC NÃO É CHIQUE.

  29. disse:

    Também adorei a matéria, as dicas , e concordo que a roupa realmente passa uma imagem boa ou ruim, devemos ter cuidado ao usar uma roupa muito decotada, estou falando de senhoras como eu acima dos 40,se não temos mais aquela beleza ou seja tudo em cima, pode ficar vulgar,concordo também que devemos nos sentir bem , outro dia fui ao shopping e vestir uma blusinha de alçinha com um corte atrás me olhei no espelho não ficou legal, isso pode ser uma questão de cabeça ,tem quem veste e se acha.

  30. disse:

    josy.maranhão

    A alegria do povo nordestino caracteriza o verbete chique- posicionamento diante da vida- verdadeiro sinal de elegância. O autoconhecimento
    é uma postura chique, o resto é adaptação…

  31. disse:

    Olá meninas adorei a materia tb .
    Acho q no dia a dia a roupa fala por todos pois tem dias q estou super afim de me arrumar me senti lá em cima entao nesse dias tenho o cuidado de escolher uma roupa q seje bem a minha cara mesmo, mas tb tem dias q n estou mt bem e a primeira roupa q pego visto …
    Temos q fazer do nosso guarda roupa um aliado em todos os momentos ! Beijo

  32. disse:

    Que ótima a matéria ela resalta vários pontos legais, como valorização do Nordeste ( q é lindu mesmo), comportamento, moda, enfim. Muito interessante! O bolsa de mulher está de parebéns. O que me chamou a atenção na matéria foi o fato de não adiantar você está bem vestida e não ter um conteúdo a oferecer como uma boa conversa, uma boa educação, e um amor ao proximo que apesar de em muitas pessoas não possuir essa qualidade, não devemos desanimar em relação a esse conceito, e você não tendo esse minímo de qualidade você pode está com a melhor roupa, a mais cara, mas vai ser difícil mesmo você chegar no chic. Um enorme bjos a todas e a bolsa de mulher obrigada pele matéria!

  33. disse:

    Digamos que o “conjuntinho” cinto, bolsa, sapato não seja mesmo a melhor opção. Acredito que a Sra. Kalil deveria ir até ao atelier do Sr. Lauren e explicar a ele isso. A semana de NY estava cheia de conjuntinhos “cinto bolsa sapato” dourados, acho que ele não leu o seu livro… Um profissional de moda deveria colocar o seu ponto de vista sem condenar o dos outros. Você tem que se conhecer saber o que lhe cai bem e lhe faz sentir bem e então usar.
    Quem não viu J-Lo numa entrega de Oscar? Todos falaram mal, ela entrou com os dois amigos estilistas Dolce e Gabanna e usou o que queria o que gostava, mesmo depois de eles dizerem que o cabelo não caía bem para a roupa.
    Quem quer ser chique se ama e se respeita e quer ser o seu “EU” não fica perguntado o que deve fazer para ser chique uma outra pessoa que nem sabe seus gostos e preferências.
    E se ser educado é bater palma para uma pessoa que fala coisas que eu discordo e que cai na minha caixa de correio eletrônico ,perdão eu então não sei mais o que é conformismo e alienação.

  34. disse:

    Digamos que o “conjuntinho” cinto, bolsa, sapato não seja mesmo a melhor opção. Acredito que a Sra. Kalil deveria ir até ao atelier do Sr. Lauren e explicar a ele isso. A semana de NY estava cheia de conjuntinhos “cinto bolsa sapato” dourados, acho que ele não leu o seu livro… Um profissional de moda deveria colocar o seu ponto de vista sem condenar o dos outros. Você tem que se conhecer saber o que lhe cai bem e lhe faz sentir bem e então usar.
    Quem não viu J-Lo numa entrega de Oscar? Todos falaram mal, ela entrou com os dois amigos estilistas Dolce e Gabanna e usou o que queria o que gostava, mesmo depois de eles dizerem que o cabelo não caía bem para a roupa.
    Quem quer ser chique se ama e se respeita e quer ser o seu “EU” não fica perguntado o que deve fazer para ser chique uma outra pessoa que nem sabe seus gostos e preferências.
    E se ser educado é bater palma para uma pessoa que fala coisas que eu discordo e que cai na minha caixa de correio eletrônico ,perdão eu então não sei mais o que é conformismo e alienação.

  35. disse:

    Digamos que o “conjuntinho” cinto, bolsa, sapato não seja mesmo a melhor opção. Acredito que a Sra. Kalil deveria ir até ao atelier do Sr. Lauren e explicar a ele isso. A semana de NY estava cheia de conjuntinhos “cinto bolsa sapato” dourados, acho que ele não leu o seu livro… Um profissional de moda deveria colocar o seu ponto de vista sem condenar o dos outros. Você tem que se conhecer saber o que lhe cai bem e lhe faz sentir bem e então usar.
    Quem não viu J-Lo numa entrega de Oscar? Todos falaram mal, ela entrou com os dois amigos estilistas Dolce e Gabanna e usou o que queria o que gostava, mesmo depois de eles dizerem que o cabelo não caía bem para a roupa.
    Quem quer ser chique se ama e se respeita e quer ser o seu “EU” não fica perguntado o que deve fazer para ser chique uma outra pessoa que nem sabe seus gostos e preferências.
    E se ser educado é bater palma para uma pessoa que fala coisas que eu discordo e que cai na minha caixa de correio eletrônico ,perdão eu então não sei mais o que é conformismo e alienação.

  36. disse:

    Digamos que o “conjuntinho” cinto, bolsa, sapato não seja mesmo a melhor opção. Acredito que a Sra. Kalil deveria ir até ao atelier do Sr. Lauren e explicar a ele isso. A semana de NY estava cheia de conjuntinhos “cinto bolsa sapato” dourados, acho que ele não leu o seu livro… Um profissional de moda deveria colocar o seu ponto de vista sem condenar o dos outros. Você tem que se conhecer saber o que lhe cai bem e lhe faz sentir bem e então usar.
    Quem não viu J-Lo numa entrega de Oscar? Todos falaram mal, ela entrou com os dois amigos estilistas Dolce e Gabanna e usou o que queria o que gostava, mesmo depois de eles dizerem que o cabelo não caía bem para a roupa.
    Quem quer ser chique se ama e se respeita e quer ser o seu “EU” não fica perguntado o que deve fazer para ser chique uma outra pessoa que nem sabe seus gostos e preferências.
    E se ser educado é bater palma para uma pessoa que fala coisas que eu discordo e que cai na minha caixa de correio eletrônico ,perdão eu então não sei mais o que é conformismo e alienação.

  37. disse:

    Ser chique e estar na moda atualmente é saber ousar, sentir-se bem com o veste e adequar isso a seu corpo e ao que se quer passar. Mais o que é ousar? para a moda atual?

  38. disse:

    O interessante é que ela fala mal de moda mas não deixa de usar termos tipo: ” a proposta atual” ou seja, a moda atual….

  39. disse:

    Maravilhosa,disse tudo!!! Ser chique está muito mais no “”ser”" do que no”" ter”" ou seja, são nossas atitudes que nos fazem chiques e não apenas o que vestimos e calçamos. Adorei,pois penso exatamente assim.

  40. disse:

    Concordo plemamente ser chic alem de ser não incomodar os outros é chamar a atençaõ sem fazer um único ruido, apenas passar.

×
Faça do Bolsa de Mulher
sua página incial
E também acompanhe: Newsletter