Relógio Biológico

Você está dando aquela caminhada e passa por uma mulher grávida. Instintivamente olha para trás e pensa: “Nossa, que barriga linda”!! Depois você olha para sua e o que vê ? Uma barriga linda também, esculpida por horas de malhação, mas está faltando alguma coisa dentro dela. Talvez nunca tenha te ocorrido algo parecido há [...]
por admin

Você está dando aquela caminhada e passa por uma mulher grávida. Instintivamente olha para trás e pensa: “Nossa, que barriga linda”!! Depois você olha para sua e o que vê ? Uma barriga linda também, esculpida por horas de malhação, mas está faltando alguma coisa dentro dela. Talvez nunca tenha te ocorrido algo parecido há alguns anos. O fato é que muitas mulheres sentem dentro delas um reloginho que está programado para despertar esta vontade maternal. Não entre em desespero. A medicina avançou e ter filhos mais tarde não representa risco. Pelo contrário, especialistas começam a achar que é a hora certa, pois o corpo está preparado e a cabeça também.

A estudante de direito Carolina Santos, 26 anos, teve o seu “relógio despertado” e não mediu esforços para cumprir seu objetivo. “Há dois anos eu tive uma súbita vontade de ter um filho. Como eu não estava namorando, pensei: o que eu faço ? Após dias pensando, e com uma vontade crescendo cada vez mais, decidi que eu iria ter um filho de qualquer maneira. Então contei para um amigo o que eu queria, mas fiz questão de falar que não queria qualquer tipo de envolvimento emocional, que o filho seria só meu. Ele aceitou e o Henrique já está com dois aninhos. Lindo”!, derrete-se.

A advogada carioca Roberta Lima está passando por esta situação. Estabilizada financeiramente e com 28 anos, ela se considera preparada para a maternidade e comenta o assunto: “Penso que este desejo vem justamente da necessidade psicológica de ser mãe, trazer ao mundo outra vida, criar, educar e crescer com uma experiência não realizada desde criança. Chegou a hora de eu ser mãe”, afirma com convicção. O namorado já foi avisado da decisão.

Claro que o encontro da pessoa certa, aquela com quem você pretende “juntar as escovas de dentes”, pode influenciar, e muito, na sua vontade de ser mãe. “Uma vez eu me apaixonei e o “relógio” despertou no volume máximo. Eu tive uma grande vontade de ter um filho, mas por outros motivos, não aconteceu”, conta a criminalista Daniela Galvão. “Mas eu conheço algumas mulheres que tiveram filhos em virtude de uma carência, sabe como é que é....A mãe morreu, a mulher está sozinha no mundo e transfere para o filho a falta de ter alguém”, revela.

Agora, o que realmente faz vibrar o despertador é um bom relacionamento amadurecido. A designer de interiores Amanda Marques que o diga. Namorando firme com o André há dois anos, esta carioca comemora o “sininho”. “Estou com uma vontade irresistível de ser mãe e já estou fazendo os planos para realizar este sonho o mais brevemente possível. Acho que chegou a minha hora”!, comemora com um sorriso nos lábios.

Os que mais travam os “despertadores” das mulheres são os companheiros. Sempre eles! Ai, ai, ai, por que ? E nessas horas vale de tudo, até negociação, se possível com contrato e firma reconhecida em cartório! Não chega a tanto, mas foi isso que a jornalista Michelle Rôças fez com seu marido. Casados há dois anos, planejavam ter filhos em dezembro de 2003. Mas não deu. Com uma vontade enorme de ser mãe, ela insistiu, insistiu e...”Consegui convencê-lo de que poderíamos ter um filho a partir de dezembro de 2001”, alegra-se. Mas a vontade vem de algum tempo. “Nasci com todos os opcionais para ser mãe, penso em ter filhos há três anos”.

O desejo de ter filhos pode até definir o fim de um relacionamento. Radicalismo ? Sei lá! O fato é que quando o “relógio toca”, nada é capaz de pará-lo, nem mesmo o companheiro. “Eu terminei um casamento porque o meu marido não queria ter filhos. Ele já tinha alguns do outro casamento e para ele isso bastava. Como ele não entendia que eu estava morrendo de vontade, terminei tudo”, diz a musicista Manoela Marinho, indignada. “Agora eu estou casada de novo e já estou planejando um filho. Pelo menos ele não se opõe”, comemora.

Explicar tal “fenômeno” é bem difícil. Ainda mais porque o que gera este tipo de comportamento é interno, acontece dentro das mulheres e, por isso, varia de pessoa para pessoa. O psicoterapeuta João Alberto Barreto tenta comentar sobre o assunto à luz da psicologia. “O assunto é um tanto complicado, vou ter que especular bastante, mas a verdade é que toda mulher quer ser mãe. O que motiva este tipo de comportamento é um fenômeno psico-biológico. Eu fiz uma pesquisa e constatei que a maioria das mulheres solteiras desejam ter filhos. Você sabia que até as prostitutas têm a vontade de ser mãe ? Isso faz parte de um processo de crescimento maternal que é absolutamente normal, e natural, em todas as mulheres. Vamos analisar o fenômeno como um todo. O que as mulheres ganham de presente dos pais quando são pequenas ? Bonecas. É aquela história de trocar a roupinha da boneca, cuidar dela, pô-la para dormir, brincar de casinha....Já é um comportamento que, futuramente, vai gerar toda esta vontade que as mulheres têm de serem mães, este processo influencia diretamente. Eu tenho uma amiga solteira e sem filhos que tem um quarto cheio de bonecas, e ela mesma diz que elas são as filhas que não teve.

Portanto, caras leitoras, se você morreu de inveja da grávida do começo da matéria, o seu comportamento é absolutamente normal! Se o seu companheiro não quer ter filhos, converse com ele! Explique a sua vontade. Pondere, veja os prós e os contras e tome uma decisão. Quem sabe a próxima grávida a desfilar não pode ser você ?

Categoria:

Matérias Recomendadas

Facebook Comments