Síndrome do intestino irritável

Doença crônica causa gases, estufamento, prisão de ventre e diarreia
por Redação

Cólicas, gases, prisão de ventre alternada com crises de diarreia, sensação de estufamento e de esvaziamento incompleto do intestino na evacuação. Esses são alguns dos sintomas da síndrome do intestino irritável, um distúrbio que afeta o funcionamento do órgão, mas que não é causado por bactérias ou  lesões e que atinge, principalmente, mulheres na idade adulta.

Leia também:

Tire suas dúvidas sobre pílula anticoncepcional

Veja a lista dos medicamentos que podem engordar

Prisão de ventre: 12 causas que você nem imagina

Essa síndrome é caracterizada por alteração no hábito intestinal, associada a dor e distensão abdominal devido ao acúmulo de gases. Os músculos que realizam o movimento peristáltico - o responsável por formar o bolo fecal e limpar o intestino - não funcionam de forma coordenada nos portadores da doença. Dessa forma, o esforço para manter as funções do órgão normalizadas faz com que as fezes fiquem acumuladas num primeiro momento e, depois, sejam eliminadas muito moles ou muito duras (o meio termo considerado saudável inexiste).

Cuidados na alimentação

Crédito: Thinkstock Invista em alimentos naturais e shakes que fazem o intestino funcionar. Crédito: Thinkstock

De acordo com a gastroenterologista Ana Maria Pereira César, muitos portadores da síndrome do intestino irritável referem o início da crise ou a piora dos sintomas associados à ingestão de algum alimento – geralmente os que produzem gases, como feijão, brócolis, couve-flor e repolho – além de bebidas com álcool e cafeína. "Alimentos do tipo condimentos, cítricos e fermentativos devem ser evitados. Porém, a dieta deve ser individualizada, pois não há um alimento específico que provoque sintomas em todos os pacientes. Cada um saberá dizer qual deles causa mais desconforto ou induz à crise", destaca Ana Maria.

Uma boa ideia é fazer um diário alimentar, registrando quais alimentos provocam ou pioram as crises. Dessa forma, é possível estabelecer regras quanto ao consumo, evitando-os sempre que possível. Quando as crises de prisão de ventre aparecerem, prepare um shake especial, que leva mamão, laranja e grãos e promete fazer o intestino funcionar.

Sintomas

Diante dos episódios de irritação do intestino, nada de apelar para a automedicação. Laxantes ou medicamentos para prender o intestino só pioram as coisas. O melhor é consultar um médico, assim que aparecerem os primeiros sintomas. "Só o médico poderá diagnosticar precisamente a síndrome do intestino irritável, solicitar os exames necessários e instituir um tratamento adequado e personalizado, indicando o que é melhor para cada paciente", diz a gastroenterologista.

Durante a consulta, o médico realiza uma anamnese, ou seja, um estudo dos sintomas e sinais da doença no paciente. "Existem alguns exames complementares que podem ser solicitados para afastar a presença de outras doenças que possuem sintomas semelhantes, mas cujas causas são mais graves e precisam de tratamento específico", lembra a gastroenterologista.

Crédito: Thinkstock Recorrer a laxantes pode piorar a situação. Crédito: Thinkstock

Prevenção e tratamento

Como cada pessoa reage de determinada maneira à síndrome, o tratamento vai ser indicado de acordo com a natureza e a gravidade dos sintomas. Existem medicamentos específicos, mas só eles não bastam: é preciso mudar pra valer os hábitos alimentares e o estilo de vida. Afinal, como a doença não é curável, o jeito é prevenir as crises. " O tratamento é capaz de manter o paciente sem crises e com uma ótima qualidade de vida. E o controle do stress e os cuidados dietéticos ajudam não só a amenizar as crises, mas também a evitá-las", tranqüiliza a Dra. Ana Maria.

Matérias Recomendadas

Facebook Comments