Má circulação > Má circulação

Aprenda a identificar, prevenir e tratar as doenças circulatórias

por Redação

Você sabia que, de acordo com a Organização Mundial da Saúde, 22% das mortes no mundo são causadas por problemas circulatórios? Não? Então fique atenta, pois os infartos do miocárdio, acidentes vasculares cerebrais e doenças de circulação periférica tornam-se mais comuns com a chegada do inverno.

O que é?

A má circulação é causada pelo acúmulo de gordura nas paredes das artérias. Quando isso acontece, elas ficam endurecidas e estreitas tornando a circulação do sangue bem mais lenta. "As doenças circulatórias ocorrem devido à contração ou vasoconstipação das artérias periféricas, o que aumenta a resistência da circulação normal. Portanto, pessoas sensíveis a estas questões devem se cuidar mais no inverno e evitar a exposição a baixas temperaturas", orienta o angiologista e cirurgião vascular José João Lopes.

A má circulação pode provocar enfermidades que se manifestam nas extremidades do corpo como dormência dos membros, formigamento nas mãos e pés e extremidades frias

O especialista explica que temos três tipos de circulação. "As artérias levam o sangue oxigenado para os tecidos; as veias trazem de volta o sangue para o coração e os linfáticos conduzem a linfa para as veias". Se o cuidado no inverno é com as artérias – a aterosclerose causa seus estreitamento e até entupimento – uma atenção especial deve ser dada às veias no verão, que podem ser vítimas de varizes e trombose.

No Brasil as doenças circulatórias foram as que mais mataram em 2008, de acordo com um estudo divulgado pelo Ministério da Saúde. Só em 2005 foram 283.927 mortes – cerca de 32% dos óbitos registrados no ano. E não é lenda: mulheres sofrem mais com a má circulação. "Elas têm maior tendência a desenvolver varizes em comparação com os homens, provavelmente devido ao estrógeno", analisa o angiologista.

A má circulação pode provocar diversas enfermidades que se manifestam nas extremidades do corpo como dormência dos membros, formigamento nas mãos e pés e extremidades frias. Pessoas com hipersensibilidade ao frio devem se proteger também da Doença de Raynaud (pronuncia-se reina). Normalmente, começam com palidez, vão para a cor violeta e terminam com vermelhidão: pés, mãos e narizes têm a sensibilidade diminuída, evoluindo para quadros de dormência e dor.

"Existe uma relação bem nítida deste quadro clínico com algumas doenças como a escleroderma, Lupus, tabagismo e artrites. A recomendação é para que as pessoas com esse tipo de problema se protejam do frio, jamais fumem e tenham um acompanhamento constante com o cirurgião vascular, pois, às vezes, a evolução dos sintomas se agrava, provocando a gangrena das pontas dos dedos", alerta o Dr. José João.

×
Faça do Bolsa de Mulher
sua página incial
E também acompanhe: Newsletter