Estria tem jeito!

Você olha para aqueles rabiscos na sua pele e fica deprimida achando que não há como se livrar das malditas estrias. Agora, para nossa alegria, surgiu um novo método que promete eliminá-las de vez
por Redação

Incomodada ficava nossa avó, agora nós já temos a chance de tratar as indesejáveis estrias, que são resultantes da falta de colágeno (proteína existente no organismo) em algumas áreas do corpo, deixando a pele com ares de mapa múndi. Criando um desequilíbrio estético, em conseqüência vem o medo de se olhar no espelho, e se deparar com estas marcas que tanto nos apavoram. As estrias se formam pela perda de elasticidade da pele, causada, muitas vezes, pelo efeito sanfona – engorda e emagrece, além da ajuda dos famosos vilões, como: refrigerantes, frituras e exercícios físicos mal orientados.

Leia também:

Famosas também têm celulite; veja fotos dos flagras

Faça o teste: você sabe combater a celulite?

Famosas usam truques caseiros para esconder as celulites

Até bem pouco tempo atrás, isto era um problema sem solução, mas hoje temos a nossa disposição alguns tratamentos como: intradermoterapia, com a vitamina C injetável, X-ADN etc.; dermoabrasão; ácido retinóico, que ajudam a combater este mal que faz parte do universo feminino, e começa geralmente na adolescência, e nos acompanha pela vida afora, mas ataca também aos homens, porém, para a sorte deles, a proporção é menor. Mas uma nova técnica vem revolucionando o mercado, com a promessa de eliminar de vez estas marcas da pele, ou pelo menos deixá-las quase imperceptíveis. A substância é a metil celulose, que estimula a síntese de colágeno na derme.

Esta fórmula foi descoberta no início do século passado, na Alemanha, e é usada no mundo inteiro, na medicina oftalmológica, para tratar catarata e glaucoma, e devido a sua capacidade de regeneração celular é utilizada também em outras patologias como: buracos de acnes e furúnculos, além de cicatrização de feridas crônicas. No Brasil, a metil celulose foi tema de pesquisa estética, no trato de estrias, há oito anos, pelo médico e professor de bioquímica da Universidade do Rio de Janeiro, Juarez Augusto de Oliveira, 55 anos de idade, e 30 anos de profissão, auxiliado por patologistas da UniRio.

Em 1999, o médico apresentou a pesquisa no “Congresso Internacional de Medicina Estética”, no Rio de Janeiro, e a técnica foi aderida tanto por vários profissionais cariocas, como em diversas cidades brasileiras, de acordo com ele, e também no exterior, como: EUA e países do Mercado Comum Europeu. A formulação brasileira e comercial da metil celulose tem o nome de Estrialess, com respaldo de uma pesquisa universitária. Doutor Juarez orgulha-se de seu trabalho na Universidade, do qual não pensa em se aposentar. “Vi outros países estudando a metil celulose (um polímero de glicose = uma associação de várias moléculas de glicose que tem um radical metil) para determinados fins, e analisei a questão do colágeno, o ponto chave para se tratar estrias. Então fizemos biopsias para se comprovar cientificamente a eficácia dos resultados e vi que funcionava, eliminava as estrias. Uma universidade é caracterizada por pesquisa, a descoberta de uma nova técnica, esta é a motivação”, confessa.

O tratamento é feito pelo próprio médico, que aplica a injeção de metil celulose, num trabalho minucioso, estria por estria, em baixo da pele. Uma sessão dura em média três horas, dependendo de cada caso. O custo médio do tratamento é de R$ 1.200,00, e leva cerca de três meses, de acordo com a situação, pois existem estrias de diversos graus, finas, largas, escuras e claras. Em média são seis sessões, e cada uma sai por R$ 200,00. O único efeito colateral é um pequeno inchaço no local, que some em 24 horas, e pode ocorrer uma ligeira coceira, a recomendação é não tomar sol logo após uma aplicação.

Outro dado importante é que não há contra-indicação, segundo doutor Juarez. Sua clientela tem média de idade de 12 a 47 anos, mas já atendeu senhoras de até 60 anos. É lógico que, grávidas, crianças e mães em fase de amamentação não podem se submeter a este tratamento. O médico afirma que em 85% dos casos as estrias somem totalmente e em 15% acontece uma melhora. Ele diz ainda que a raça negra sintetiza melhor o colágeno, respondendo mais rápido ao trabalho com a metil celulose. Normalmente, de acordo com dr. Juarez, o biótipo cutâneo mais escuro faz quelóide na pele, que não é nada mais que o excesso de colágeno, e na maioria das vezes, com uma sessão desaparecem as marcas. Mas as pessoas com as demais peles não precisam se preocupar, pois ele garante que o resultado também é satisfatório, só que é preciso mais aplicações.

O médico conta também que no começo atendia mais mulheres do que homens, mas que hoje inverteu o quadro, e que este fato se deve a ida frenética nas academias de ginástica, onde algumas pessoas fazem exercícios físicos mal orientados, levantando pesos em excesso. Ele adverte que os músculos agüentam, mas a pele não, esticam em demasia perdendo a elasticidade.

Outro fator preponderante é que se pode aplicar a metil celulose em qualquer parte do corpo, para dr. Juarez, em escala, as regiões que respondem mais rápido ao tratamento são: mama; nádegas; e barriga. Nos seios, muitas vezes, bastam duas aplicações, e três nas nádegas. Mas em só 15% dos casos as estrias voltam, e é preciso fazer um retoque, segundo ele, mas para isso ratifica algumas recomendações: “Faça alimentação balanceada, com muitas verduras e legumes, evite comidas gordurosas e exercícios físicos sem a devida orientação”.

Para o médico Juarez Augusto de Oliveira, a metil celulose é a melhor forma de eliminar estrias, e diz que não adianta usar cremes que prometem milagres. “Os cremes e óleos são só maquiagens, não sintetizam debaixo da pele, não resolvem nada, logo elas voltam. Quando a pessoa usa a metil celulose, ela percebe o resultado. Então vai à praia sem sentir vergonha, pode usar roupas que deixam a barriga de fora, isto já levanta a auto-estima, e as pacientes sentem-se mais felizes”, avalia.

Mas Meninas ! Não fiquem eufóricas, apesar de alguns profissionais da área apostarem nesta nova técnica, sem relatos de casos de alergias e efeitos colaterais, ninguém promete milagre. Deve-se ter discernimento para se submeter a qualquer tratamento, e fazer sempre uma avaliação médica antes, de preferência com seu médico de confiança, pois, saúde é coisa séria.

Tratamento de estrias com Estrialess (metil celulose):

Dr. Juarez Augusto de Oliveira

Rua Bulhões de Carvalho, 470-Copacabana / RJ

(21) 523-4633/ 9144-8865.

Drª. Eliane Lamar Pupin

Rua: Jardim Botânico, 295 / RJ

Fone: (21) 286-0433

Drª. Karla Assed

Rua: Visconde de Pirajá, 351/ sl. 1216

Fones: 521-0381/3803-7800

Drª. Carmen Ladsmann – Itu (SP)

Fone: (11) 4022-1516

Drª. Maria Cristina Santos – Piracicaba (SP)

Fone: 0194-3443-77

Assista também: Freeze, um novo tratamento que promete reduzir medidas, flacidez e celulite

[bolsatv conhece-o-freeze]

Matérias Recomendadas

Facebook Comments