Colonterapia

Muito em voga, o procedimento só deve ser feito com orientação médica
por admin

A colonterapia, ou hidroterapia do cólon, é a última moda nos consultórios. Mas, para aquelas que adoram experimentar novos tratamentos, um recado: embora seja bastante utilizada, a colonterapia não é recomendada por muitos médicos, principalmente quando os pacientes se submetem às sessões somente por razões estéticas. "É um absurdo saber que as pessoas estão se submetendo a esta técnica por causa da estética. E, pior ainda, saber que há profissionais que indicam o tratamento já sabendo dos motivos que levaram a paciente ao consultório", diz o coloproctologista Bernardo Souza.

Segundo o especialista em Colonterapia, Dr. Tiago Almeida, o tratamento consiste em uma lavagem com água suficiente para preencher o cólon, por meio de um aparelho. Como a água circula na totalidade do cólon, essa irrigação limpa e desintoxica suas mucosas. "Este processo melhora a flora e permeabilidade intestinal e desgruda fezes duras (fecalomas), que são amolecidas, e permite que sejam devidamente expelidas", diz o médico.

O ideal é realizar de 8 a 10 sessões, de 30 a 40 minutos cada, em dias consecutivos ou alternados e com supervisão médica. Depois, é indicado que o paciente faça um tratamento por ano, como manutenção

A promessa do tratamento é desintoxicar e reabilitar o intestino, melhorando a imunidade e prevenindo uma série de enfermidades. Segundo o especialista, a Colonterapia traz benefícios diversos se associado ao tratamento clínico, dieta e reequilíbrio da flora intestinal. "Desintoxica o organismo, promove a sensação de bem-estar e leveza, melhora o humor (diminuindo a ansiedade, irritabilidade, nervosismo), estimula o peristaltismo (ajudando a regularizar a função de eliminação), pode promover a redução de peso em associação com a reeducação alimentar, alívio de desordens ginecológicas (cistites, ovarites) com a reposição da flora intestinal, previne doenças degenerativas e o câncer de intestino", enumera.

Entretanto, para o coloproctologista Bernardo Souza, alguns resíduos expelidos durante o processo são importantes para o bom funcionamento do organismo. "Esses resíduos (como bactérias, nutrientes e minerais) ajudam a estimular as funções do órgão e harmonizam a flora intestinal". E completa: "A distenção do cólon provoca os sintomas da prisão de ventre. Então, não é necessário lavá-lo, mas sim, estimulá-lo com uma dieta apropriada".

O tratamento através da Colonterapia é indolor e, normalmente, curto. "O ideal é realizar de 8 a 10 sessões, de 30 a 40 minutos cada, em dias consecutivos ou alternados e com supervisão médica. Depois, é indicado que o paciente faça um tratamento por ano, como manutenção", esclarece o Dr. Tiago Almeida.

O paciente é submetido a uma dieta preparatória antes de iniciar as sessões. "Há uma consulta na qual é prescrito o preparo do cólon, que se faz a partir do acompanhamento de uma dieta sem farináceas, carnes e lácteos, ao término do qual se realiza uma reposição de lactobacilos", conta o médico.

Matérias Recomendadas

Facebook Comments