Óculos ideal não pode formar "segunda sobrancelha"; veja como escolher

Conforto e qualidade da lente devem ser prioridade na hora de comprar
por Marianna Feiteiro

Já foi-se o tempo em que óculos de grau eram tidos como algo feio, que atrapalhava o look.  Hoje, eles são usados para complementar o visual, e algumas pessoas utilizam até mesmo lentes sem grau, só para dar um charme. Os óculos de sol também foram incorporados ao dia a dia e viraram item obrigatório no guarda-roupa. São acessórios que compõem nosso look na maior parte do tempo e, por isso, além de bonitos, devem ser confortáveis.

Leia também:

Qual a cor mais indicada para lente dos óculos escuros?

Óculos com filtro solar ajudam a evitar problemas na visão

Maquiagem para quem usa óculos: saiba qual é a melhor

O esteta ótico Miguel Giannini, profissional reconhecido da área que trabalha com nomes como Glória Meneses, Tarcísio Meira, Marisa Orth, Mariana Ximenes, Fernando Henrique Cardoso, Geraldo Alckmin e Boris Casoy, entre muitos outros, explica que o mais importante na hora de comprar um par de óculos é escolher um que combine com a sua personalidade. “Essa história de formato de rosto adequado é balela. Se você colocou os óculos e se identificou, está perfeito”, diz ele.

O profissional defende que os óculos devem refletir aquilo que a pessoa é, seja extrovertida, tímida, fashion, conservadora, etc., e que, para isso, não há regras. No entanto, existem sim alguns itens que precisam ser levados em consideração e analisados calmamente na hora de comprar o acessório. Portanto, não tenha pressa!

O primeiro aspecto é o apoio nasal. “O nariz é o cavalete dos óculos, que vão se apoiar quase inteiramente nessa região. Um bom apoio garante equilíbrio e impede que o acessório deixe marcas”, explica o profissional. O apoio temporal, portanto, é secundário. Deve-se apenas garantir que as hastes estejam bem ajustadas e que não apertem atrás da orelha, para evitar que fiquem protuberantes.

Em segundo lugar, as sobrancelhas e o centro da expressão têm de ser respeitados. “Os óculos não podem nem anular as sobrancelhas e nem acompanhar o seu contorno, criando a impressão de uma segunda sobrancelha”, orienta o esteta ótico. Já o centro da expressão, área que fica entre os olhos, onde nasce o nariz, também deve ficar bem solto. Esses cuidados garantem que os óculos não interfiram ou mudem a expressão facial.

No caso dos solares, o aro inferior não deve apertar as maçãs do rosto. “Isso pode deixar marcas, além de impedir a boa oxigenação, o que faz com que os óculos embacem”, explica. Ele também indica as armações de plástico acetato, que não acumulam tanto calor como as de metal e evitam alergias.

Outro ponto importantíssimo é qualidade das lentes dos óculos solares. Quando nos expomos ao sol, nossas pupilas automaticamente diminuem, evitando a incidência solar. Quando colocamos uma lente escura sobre os olhos, elas voltam a se dilatar, e perdemos nossa proteção natural. Por isso, é crucial usarmos óculos somente com proteção contra raios UV, que evitam a exposição excessiva ao sol.

Orientações

“Algumas pessoas que têm o rosto largo querem um óculos de grau com a armação grande para disfarçar. Isso é um erro, principalmente se você usa um grau muito elevado, tanto de miopia quanto de hipermetropia, que distorce o tamanho do olho”, alerta o especialista. Segundo ele, as lentes são o que mais chamam a atenção nos óculos e, por isso, quanto menores forem, melhor. Os óculos grandes, que estão na moda, só podem ser usados sob duas condições: se o grau da lente for baixo e se a armação ultrapassar a linha da sobrancelha, deixando-a visível.

Já para os óculos de sol, Miguel recomenda as lentes degradê ao invés das totalmente escuras. “Além de estarem na moda, elas são mais simpáticas, pois mostram as expressões da pessoa. As lentes muito escuras dão um ar de mafioso para quem usa, parece que está tentando se esconder”, brinca o esteta ótico.

Segundo o especialista, a pessoa que usa óculos de grau deve ter, no mínimo, três exemplares: um com proteção solar, um para o dia-a-dia, mais versátil, e outro para ocasiões formais, mais discreto ou elaborado, dependendo do gosto da pessoa.

Manutenção e limpeza

A região ocular é a parte mais sensível do corpo. Por isso, a boa higienização dos óculos é obrigatória.

-    Lave os óculos regularmente com água corrente e um sabão neutro ou de coco. A água em movimento é especialmente eficaz para limpar óculos de sol usados na praia, pois ela garante a eliminação dos resíduos de areia que, além de riscarem as lentes, podem contaminar a mucosa.

-    As lentes antirreflexo dos óculos de grau nunca devem ser lavadas com água quente, pois correm o risco de craquelar. Procure higienizar de forma delicada.

-    Evite deixar os óculos jogados na bolsa sem nenhuma proteção. Além de correr o risco de entortar a armação e riscar a lente, você pode expor o acessório a bactérias. O ideal é mantê-los em uma caixinha própria e sempre ter uma flanela a mão.

-    A cada dois ou três meses, faça uma revisão nos seus pares em uma ótica. Lá, eles podem limpar os óculos mais profundamente e ainda ajustar algum desalinho na armação. “A maioria das pessoas não sabe, mas as óticas oferecem esse serviço gratuitamente”, comenta Miguel.

Categoria:

Matérias Recomendadas

Facebook Comments