Limpeza profunda > Limpeza profunda

A esfoliação melhora a oleosidade e devolve a maciez à pele e cabelos

por Redação

Nossa aparência é responsável pela famosa "primeira impressão". Portanto, quem deseja estar em paz com ela deve ficar atenta a certos cuidados – alguns são imprescindíveis até mesmo para a realização de tratamentos estéticos. A esfoliação é um deles. Segundo a dermatologista Samantha Kelmann, do SPA Goodness e Bem-Estar, este procedimento retira as células mortas que se acumulam na pele e no couro cabeludo deixando-os com aspecto opaco e áspero. "Além disso, a esfoliação acelera a renovação celular e uniformiza a pele, permitindo melhor absorção dos produtos aplicados", explica a médica.

Esfoliação capilar

Assim como a pele, os cabelos também precisam de uma limpeza profunda, que elimine a oleosidade excessiva das madeixas e devolva a elas a vitalidade e o brilho. "A esfoliação capilar é um alívio imediato do couro cabeludo. As microesponjas presentes no esfoliante absorvem a oleosidade, purificam e reequilibram o pH dos fios, promovendo uma sensação de cabeça completamente limpa, sem ressecar o couro", revela a hairstylist Sonia Nesi.

A esfoliação, que também é chamada de peeling capilar, deve ser feita semanalmente e é indicada para pessoas com cabelos crespos, oleosos e com presença de caspas. À base de argila, zinco, óleos, algas e outros ativos, os esfoliantes possuem grânulos capazes de ativar a circulação, oxigenar e remover as células mortas, os resíduos químicos e a poluição do couro cabeludo. Ela só é contra-indicada para quem possui cabelos secos, já que o processo poderia ressecá-los ainda mais.

No entanto, Sonia faz questão de frisar que apenas a esfoliação não é capaz de revitalizar os fios: "O maior erro das mulheres é acreditar que só com o peeling elas resolverão o problema da oleosidade. Ele deve estar sempre associado a outros tratamentos, já que quem tem couro cabeludo oleoso, geralmente, também possui pontas secas. Não adianta tratar uma coisa e se esquecer da outra, senão lá na frente esse couro cabeludo vai ficar novamente oleoso", alerta. A hairstylist aconselha, então, que sempre após a esfoliação seja feita uma hidratação. "O couro cabeludo precisa estar hidratado, caso contrário, o cérebro enviará para ele a informação de que seu cabelo está seco, e ele acabará produzindo mais oleosidade", argumenta.

Esse tipo de tratamento também pode ser feito em casa; então, mãos à obra! Sonia ensina como produzir um esfoliante capilar caseiro: "Algumas frutas, como o morango e o maracujá, são ótimos esfoliantes naturais. Basta que você os bata levemente no liquidificador e passe no cabelo, massageando o couro em movimentos circulares. O limão com açúcar também funciona; enquanto os grãos fazem a abrasão, a fruta purifica os fios", indica. Só não vale se esquecer de dar uma carga de proteção extra depois, com hidratações semanais.

Além da esfoliação, Sonia revela que o simples ato de escovar os cabelos produz um efeito similar ao do peeling. "Dar 'cem escovadas' nos fios antes de dormir ajuda a levar a oleosidade do couro ao resto do fio, ativa a circulação e reduz a queda de cabelo", revela.

Esfoliação corporal

Cabelos bonitos e cuidados, agora é hora de dar atenção a sua pele! A esfoliação corporal, além de revitalizar o tecido, deixando-o muito mais vistoso e hidratado, é um passo importante antes de muitos outros procedimentos. "Ela evita que os pêlos encravem após a depilação, uniformiza a pele antes do bronzeamento e permite uma melhor absorção de produtos em alguns tratamentos, como os peelings químicos", afirma a dermatologista Samantha Kelmann. E a técnica contribui também para a redução da hiperceratose pilar – aquelas bolinhas que muitas mulheres possuem na região posterior do braço.

Há pessoas que confundem esfoliação com peeling - até mesmo porque, quando o assunto é cabelo, eles realmente são sinônimos. Na pele, porém, não se tratam da mesma técnica, ainda que os dois envolvam a descamação da pele: "Os peelings são feitos em consultório. Existem diversos tipos e intensidades. A esfoliação é uma espécie de peeling, mas não é químico, é mecânico, mais leve e pode ser feito em casa", esclarece Samantha. Por isso, ao procurar uma clínica estética, tenha sempre em mente essa diferenciação.

Por ser um procedimento leve, a esfoliação só é contra-indicada em casos de peles feridas ou com alguma doença, como acne inflamatória. Nesses casos, é preciso que a epiderme se restabeleça antes do tratamento. Mas cuidado! Nem pense em se empolgar e sair fazendo esfoliações diárias. Os especialistas recomendam que seja feita, no máximo, uma vez por semana, ou você correrá o risco de transformar suas esfoliações em verdadeiras esfolações. "Se o intervalo for muito curto, pode ser que não haja recuperação completa da pele e comece a formar feridas nos locais esfoliados", adverte Samantha.

Assim como nas madeixas, a esfoliação corporal também pode ser realizada em casa. "Primeiro, lave a pele com sabonete suave, tipo glicerina. Em seguida, aplique o esfoliante com os dedos e espalhe o produto em movimentos circulares, com a mesma intensidade de força em todas as regiões. Depois, repita o procedimento apenas nas áreas mais ásperas que necessitem de mais abrasão e enxágüe", ensina a dermatologista. E as regras do cabelo também valem para a pele: caso a descamação tenha sido feita com muita pressão, é importante hidratar a pele para acelerar a recuperação cutânea. Samantha Kelmann dá a dica de que misturar a mesma quantidade de mel e flocos de aveia resulta em um poderoso esfoliante corporal caseiro. Experimente!

×
Faça do Bolsa de Mulher
sua página incial
E também acompanhe: Newsletter