Beleza no tom

Evite surpresas ao pintar o cabelo. Descubra a tintura ideal para você
por admin

Que mulher nunca desejou, mesmo que secretamente, fazer uma mudança total no visual? Se passar a tesoura está descartado, que tal mudar a cor do cabelo? Mas para radicalizar com as cores, é preciso se cercar de alguns cuidados. Embora existam produtos para todos os gostos e tipos, nem sempre eles combinam com seu tom de pele, ou são os mais recomendados para seus fios. Depois, o desafio é decidir se usa tinta, descolore, se faz apenas mechas ou passa tonalizantes... Ufa! Para evitar que essas e outras dúvidas pintem na sua cabeça, profissionais experientes revelam todas as nuances de uma grande transformação.

Agir no impulso e arriscar técnicas do tipo "faça você mesma em casa" definitivamente não é a melhor forma de deixar os cabelos bonitos. O sonho de ganhar um visual mais bacana pode se transformar num tremendo pesadelo. A advogada Lúcia Mesquita queria mechas iguais às da prima. Para isso, comprou água oxigenada e descolorante na farmácia e aplicou a mistura sozinha. "Não sabia quantos minutos deveria deixar o produto, mas tomei como base o tempo que levava para descolorir os pêlos do braço. Olha isso! Fui até o espelho e percebi que os fios estavam com uma cor estranha, mas achei normal. Então lavei e o cabelo ficou laranja, além de áspero e todo esfarelado", relembra. No dia seguinte, a solução foi correr para o cabeleireiro, mas consertar o estrago não foi simples - além de várias aplicações de tinturas, precisou cortar as madeixas. "Fui obrigada a esperar os fios crescerem novamente. Demorou uns dois anos para o meu cabelo ficar saudável de novo. E, com essa ‘saga', eu aprendi a lição: hoje só deixo um bom profissional colocar as mãos no meu cabelo, custe o que custar! Nada mais de fazer em casa. Às vezes o barato sai muuuito caro mesmo, como foi o meu caso", conta Lúcia.

Se você é morena e vira, de um dia para o outro, loura como a Adriane Galisteu, numa tacada só, pode acabar chocada com o resultado e chocando também os outros

Então, o que mais é preciso fazer para revolucionar o look sem surpresas desagradáveis? Conhecer as opções existentes no mercado é um bom começo. Existem vários tipos de produtos para tingir os cabelos: tinturas, henna, descolorantes, xampus tonalizantes, entre outros. De acordo com com Anysio Estevão, estilista capilar da Clínica Più Bella, no Rio de Janeiro, as tinturas se diferenciam pela sua química, algumas são à base de amônia e outras, à base de água. "Há produtos permanentes ou temporários. As tinturas permanentes são as mais usadas, até porque, hoje em dia, elas quase não estragam o cabelo, isso quando usadas com o acompanhamento certo, fazendo uma boa manutenção depois, é claro", adverte. Segundo ele, tinturas à base de água, como a henna, por exemplo, parecem ser mais naturais, mas nem sempre são, pois possuem metais pesados. Anysio explica ainda que os produtos que não são profissionais, ou seja, as famosas "tinturas de perfumaria", possuem uma tecnologia mais pesada, pois precisam revelar mais as cores e por isso podem estragar mais as madeixas.

Basicamente, podemos dividir as tinturas em:

Tintura temporária:

O que é? Alguns xampus tonalizantes vendidos em farmácias. Fazem mudanças discretas e nunca clareiam os fios.

Como age? O pigmento do produto adere à parte externa do fio, como se o cabelo fosse encapado. Não interfere na sua estrutura.

Vantagens: Não causa dano ao cabelo. A tinta sai com cerca de seis lavagens. Não gostou, não tem drama.

Desvantagens: O pigmento se sobrepõe à sua cor. Ou seja: o resultado é uma mistura entre a cor do tonalizante e a do seu cabelo.

Semi-permanente:

O que é? São produtos sem amônia, que podem ser usados em casa. Também não clareiam.

Como age? Apenas amolece a cutícula - parte externa do fio, com células sobrepostas que parecem escamas. O pigmento se fixa dentro delas.

Vantagens: A tinta não danifica o fio porque não altera muito sua estrutura. A cor dura mais que a dos tonalizantes. Oferecem brilho, leve intensidade de cor e fixação.

Desvantagens: A cor nem sempre sai totalmente, ou não permanece. Depois de umas 24 lavagens, ela começa a desbotar. Mas fica resíduo. Cobre até 50% dos fios brancos.

Permanente:

O que é? Conhecidas como tinturas, são produtos que usam água oxigenada (de salão ou de farmácia) na composição.

Como age? Com a ajuda da amônia, a água oxigenada altera a melanina dos fios, tirando a cor atual do cabelo, para depois colocar a nova tonalidade.

Vantagens: Uma de suas características é a fidelidade de cor, mantendo os tons próximos aos das embalagens. Esta é a única forma de clarear os fios. As tintas de caixinha clareiam até dois tons. Mais que isso, só no salão. Oferece cobertura de até 100% dos ‘fios inimigos' (os brancos).

Desvantagens: É o método mais agressivo. Os cabelos perdem o brilho e ficam frágeis. Exige boa técnica para fazer e disciplina para manter. Deve-se tomar muito cuidado na aplicação, caso os fios estejam sensibilizados.

Fantasy colors:

O que é? São as cores fortes: verde, vermelho, azul, rosa, laranja... Tem nos salões e nas perfumarias.

Como age? Se aplicada sobre o cabelo, dá apenas uma nuance. Para os fios pegarem cor de verdade, é preciso descolorir antes.

Vantagens: Em duas palavras - muito estilo.

Desvantagens: É a tintura que mais dá trabalho. Em sete ou oito lavagens, já começa a desbotar.

Como escolher a cor certa

‘É essa!' Você nem titubeia, arranca o anúncio da revista em que aparece uma modelo ou atriz exatamente com a cor de cabelo dos seus sonhos e corre para a farmácia à procura de uma tintura que estampe na embalagem a mesma tonalidade. Depois de seguir todos os passos do manual de instruções, checa o resultado. Decepcionante... O tom até que está bem parecido, o problema é o conjunto - nem de longe você ficou com aquele ar de loura fatal, por exemplo. Truque, enganação? Nem sempre. A cor do cabelo tem o poder de valorizar seus olhos e sua pele e até de conferir um ar glamouroso ou moderno ao visual. E tudo depende da escolha certa. Por isso, é preciso entender por que certas cores funcionam para algumas pessoas e para outras não. Definitivamente, cada cor, uma sentença...

Pele rosada: combina com acobreados, vermelhos, dourados, ruivos, marrons e tons escuros. Exemplos famosos: Mariana Ximenes, Kirsten Dunst e Monique Alfradique. Este tom de pele combina com qualquer cor de cabelo. Mas, atenção: preto chapado dá uma aparência ‘Mortícia' - se este for exatamente o estilo que você procura, ótimo. Evite tons acinzentados, pois envelhecem.

Pele amarelada: vai bem com tons de marrons e vermelhos, como os das atrizes Daniela Suzuki, Amanda Lee e Lucy Liu. Os louros devem ser usados com moderação - os muito chapados podem deixar a pele pálida. Para clarear, a melhor opção é fazer mechas em tons de mel. Evite o acinzentado: dá a impressão de que você está de "cara lavada".

Pele morena: ficam ótimas com castanhos, achocolatados, pretos e vermelhos. As famosas Beyoncé, Carol Castro, Juliana Paes e Camila Pitanga são bons exemplos. As mais conservadoras podem optar por tons avermelhados, acobreados e café - não tem erro. Para as ousadas, dá para arriscar os louros. Quer ficar mais natural? Então, escolha tons mesclados, relacionados à cor de sua pele.

Pele negra: o melhor é optar por tons castanhos, acobreados e pretos, a exemplo das atrizes Taís Araújo e Sheron Menezes. Evite o louro, pois contrasta demais.

Sem radicalismo!

A cor da vez é uma mistura fina de tons, que vai do baunilha ao ouro, num clareamento gradual. Ninguém precisa dormir ‘morena-tentação' e acordar ‘loira-furacão'. Aliás, nem deve. "Se você é morena e vira, de um dia para o outro, loura como a Adriane Galisteu, numa tacada só, pode acabar chocada com o resultado e chocando também os outros", alerta o hair-stylist Regis Vanccini, do Studio Teen, no Rio de Janeiro. Segundo ele, o ideal é sempre ir aos poucos. "Converse com seu colorista e faça um acordo: começar com poucas mechas e, se gostar do resultado, intensificar a nova cor depois de 30 dias. Assim, poupa aborrecimentos. Outra boa razão para ser cautelosa é que talvez descubra que bastam algumas luzes no cabelo para acender seu sex appeal. E aí você pára na primeira etapa mesmo", afirma. O brilho do ouro, de acordo com Regis, pode vir em pequenas ou grandes porções, só não vale ficar sem. Cabelo monocromático, para o cabeleireiro, está totalmente fora de moda! "Eu não confiaria em uma mulher que não pinta o cabelo", brinca Regis, que conhece bem o resultado sexy de um recurso cada vez mais acessível a todas as mulheres.

Categoria:

Matérias Recomendadas

Facebook Comments