Acne na mulher adulta

Entenda a razão desse problema fora de hora e saiba controlá-lo
por admin

Não só é possível, como acontece - e muito! - o desenvolvimento da acne na fase adulta. Várias pacientes chegam ao consultório com a seguinte pergunta: estou virando adolescente de novo? Há casos, inclusive, de pessoas que sequer sofreram com o problema quando mais jovens e que, agora, anos mais tarde, passam a conviver com ele. Na fase adulta, a acne apresenta características totalmente diferentes daquelas observadas na adolescência e geralmente vem associada ao fotoenvelhecimento, resultado da exposição solar excessiva.

O distúrbio pode estar relacionado a agentes externos, como o uso de cosméticos inadequados, geralmente muito oleosos e que acabam obstruindo as glândulas sebáceas; uso de medicamentos sistêmicos; oleosidade excessiva; alterações hormonais; distúrbios menstruais; alimentação errada; obesidade e até estresse.

Teste: o que você sabe sobre saúde feminina?

A regra número um para quem tem acne é abolir o uso de cosméticos à base de cremes, devendo-se optar por produtos em gel e filtros solares oil free. Também é proibido espremer ou cutucar o rosto!

Geralmente, são observadas intensas alterações psicológicas que podem levar à inibição social, constrangimento, depressão e insegurança no ambiente de trabalho. Algumas pessoas, na tentativa de melhorar o aspecto da pele, lavam o rosto muitas vezes por dia, cutucam as lesões ou exageram no uso de cosméticos para disfarçar o problema, podendo assim agravar ainda mais o quadro.

Outra prática infelizmente comum, porém nada recomendada, é se expor ao sol, acreditando que ele poderá melhorar o aspecto da pele. Num primeiro momento, isso até acontece, mas ledo engano... Depois, a acne volta e ainda pior, uma vez que vem acompanhada das manchas e envelhecimento provocados pelo sol.

A regra número um para quem tem acne é abolir o uso de cosméticos à base de cremes, devendo-se optar por produtos em gel e filtros solares oil free. Também é proibido espremer ou cutucar o rosto!

Mas, apesar da irritação e transtornos que a acne gera, aqui vai uma boa notícia: ninguém precisa se desesperar, porque o problema pode ser controlado e até resolvido, desde que o paciente recorra a um especialista, que irá prescrever o tratamento mais indicado para o seu caso. Portanto, nada de automedicação! Muitas vezes, o que funciona na pele de uma amiga ou colega de trabalho, poderá não servir para você e até piorar o aspecto das lesões.

O tratamento envolve desde medicamentos orais ou tópicos para serem administrados em casa até procedimentos em consultório. Opções não faltam! O importante é o diagnóstico preciso e a terapêutica correta.

No próximo texto, iremos abordar o que se pode fazer para melhorar as cicatrizes de acne, aquelas marquinhas que incomodam tanta gente.

Paula Bellotti é dermatologista, formada em medicina pela Universidade Federal Fluminense (UFF), no Rio de Janeiro, com pós-graduação em Dermatologia Clínica e Cirúrgica pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). É membro efetivo da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD), Sociedade Brasileira de Cirurgia Dermatológica (SBCD) e da Société Française de Dermatologia.


Tem alguma dúvida? Mande seus comentários e sugestões de temas de beleza e saúde da pele.

Leia outros artigos da Dra. Paula Bellotti

Clínica Dermatológica Dra. Paula Bellotti - Av. Afrânio de Melo Franco, 141/3º andar, Leblon. Tel: (21) 2294-9514.

Categoria:

Matérias Recomendadas

Facebook Comments