Novamente, amor

É possível reviver uma grande paixão? Para alguns casais, foi!
por admin

"Paixão antiga sempre mexe com a gente é tão difícil esquecer / Basta um encontro por acaso e pronto, começa tudo outra vez". Nos versos da música "Paixão Antiga", cantada por Tim Maia, é fácil entender porque muita gente por aí escolhe um amor antigo para ser revivido. Afinal, quem não gostaria de ter mais uma vez momentos felizes com aquela paixão do passado? Mas será que vale tentar novamente?

Para alguns, o reencontro com um antigo amor é a chance de viver feliz para sempre. Aquela pessoa com quem o relacionamento não deu certo da primeira vez pode ser o caminho para encontrar a verdadeira felicidade. Pelo menos foi assim com Daiana Vargas, 24 anos, que namorou e foi noiva por seis anos de Fábio Ferreira, de 30. Um dia o encanto parecia ter acabado. O casal decidiu se separar e desfazer de todo o enxoval. "Ficamos três anos separados. Eu namorei outros rapazes, mas não consegui me apaixonar por ninguém", conta Daiana.

Depois da experiência em outras relações, a pessoa já amadureceu o suficiente para entender os defeitos do outro


O amadurecimento é a palavra-chave para definir este vai e volta no relacionamento, na opinião do psicanalista Luiz Alberto Py. Por alguma imaturidade, as pessoas não conseguem ficar bem. Quando se reencontram, descobrem um amor, um gostar recíproco. Desvendam um lado positivo da relação muito forte que não tinha se revelado antes.

Foi aí que ela resolveu dar uma nova oportunidade ao ex-noivo. "Cansei de não gostar de ninguém. Resolvi voltar para ele na esperança de que ele me reconquistasse e eu voltasse a sentir o que eu sentia antes", completa.

Há um ano o casal tenta uma vida nova. Para Fábio, os três anos em que passaram dando um ‘tempo' serviram para os dois repensarem melhor e se decidirem. "Acho que, na primeira fase do relacionamento, nós éramos muito imaturos. Agora sabemos lidar melhor com as crises", diz ele.

O que pode estragar a relação num primeiro momento é a falta de maturidade para relevar defeitos. Para um relacionamento dar certo, o casal tem que ter tolerância um com o outro. "Depois da experiência em outras relações, a pessoa já amadureceu o suficiente para entender os defeitos do outro. Assim, quando o casal se reencontra, se acerta", explica o psicanalista.

O tempo, no caso da jornalista Alessandra Guedes, 28 anos, agiu diferente. Ela namorou por dois anos e, depois de diversas brigas, rompeu o relacionamento. O tempo de separação durou pouco: apenas seis meses. Ambos ficaram com outras pessoas, mas depois acabaram decidindo voltar.

Mas a segunda fase do namoro não durou nem dois anos. Alessandra conta que acreditava que o tempo fosse ajudar, mas não foi bem assim: "Quando voltamos não aconteceu nada de diferente. Só ficou na promessa mesmo", desabafa. Há um mês o casal se separou novamente. "Não foi bom ter voltado. Cometemos os mesmos erros. Foi como se não tivesse havido nenhuma separação", conta. Desta vez ela não acredita mais que o tempo possa ajudar. "Jamais voltarei para ele. Errar uma vez é perdoável, mas duas já é burrice!", completa.

Luiz Alberto Py, no entanto, afirma que, quando não dá certo na segunda vez, é porque ainda falta amadurecimento. "A pessoa não consegue ter uma visão de valores. Vê mais defeitos que qualidades. É necessário ter tempo para amadurecer e usar bem a experiência de vida desse tempo".

Com a aposentada Leda Sacramento, de 52 anos, aconteceu um fato inusitado: ela casou-se duas vezes com o mesmo marido. O primeiro casamento durou 11 anos. Depois de muitas brigas provocadas por ciúmes de seu companheiro, o casal decidiu se divorciar. Após um ano de separação, resolveram retomar a união. "Eu disse que só voltaria se fosse para viver do meu jeito. E ele aceitou", conta.

Mas foi preciso viver juntos por mais 13 anos para se casarem de papel passado novamente. Segundo Leda, na época, os dois eram o terceiro casal do Rio de Janeiro a procurar o fórum para um segundo casamento com a mesma pessoa. "A juíza perguntou por que ele estava se casando novamente comigo e ele respondeu que não sabia que me amava tanto", conta a aposentada.

Para Leda, a experiência de se casar novamente com a mesma pessoa foi tão prazerosa que está disposta a se casar mais uma vez. "Se eu voltasse a ser solteira, casaria com ele certamente. E se fosse preciso casaria pela terceira vez também", brinca ela.

Categoria:

Matérias Recomendadas

Facebook Comments